Seleção Osíris | Janeiro 2020

Seleção Osíris | Janeiro 2020

Marques de Caceres Reserva | 2014

Mais informações

 

Enrique Forner, comercializou vinhos desde criança. Seu avô e seu pai fundaram em 1920 a Vinícola Forner, uma empresa familiar dedicada à produção, comercialização e exportação de vinhos em Sagunto (Valência).

Exilado na França, com a Guerra Civil, Enrique fundava em 1952 um negócio semelhante nos vales do Ródano e Vale do Loire (França) e em 1963 comprou dois chateaux grand crue classé em Medoc Haut (Bordeaux) -Chateau Camensac e Château Larose Trintaudon- convencido de que ele seria capaz de fazer alguns dos melhores vinhos do mundo.

Retorna para a Espanha em 1968 e escolheu Rioja, fugindo da filoxera, no coração de La Rioja Alta, para continuar o seu sonho.

Enrique Forner virou para seu amigo e professor Emile Peynaud, autêntico revolucionário do cultivo e vinificação em Bordeaux nos anos 70 e 80, para impregnar em Rioja esse mesmo espírito inovador. “Sob a marca Marqués de Cáceres, os Forners conquistaram o mercado internacional. É um dos vinhos dos quais, tenho orgulho de ser o padrinho “(Emile Peynaud, 1995)

 

Marques de Caceres

 


 

Estate Merlot Cabernet Estate Vineyards | 2014

Mais informações

 

Todos os vinhos Te Mata Estate são produzidos dentro de suas próprias vinhas, as Havelock Hills Vineyards, localizadas na Baía de Hawke, e são considerados os primeiros vinhedos legalmente protegidos da Nova Zelândia. É o mais antigo e tradicional produtor e uma das “Icon Wineries” do país, elaborando vinhos muito finos, de excepcional qualidade, graças ao clima temperado marítimo e de baixa pluviosidade devido à sombra da chuva das montanhas a oeste.

Te Mata tem dois vinhedos na Ponte PaTriangle: o Bullnose Vineyard , uma propriedade de 15 hectares plantados em 1990, que abriga o winemaker Peter Cowley e sua família. Se destaca pelo cultivo de Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Syrah, Sauvignon Blanc, Semillon e Gris Sauvignon.

Essa região apresenta altas temperaturas, uma das mais quentes da Baía de Hawke, que combinadas com solo arenoso sobre uma base de cascalho fazem deste um local excelente para o amadurecimento de varietais tintas e brancas. Já o Isósceles Vineyard, outro espaço de 15 hectares nas proximidades, teve sua plantação iniciada nos anos 2000 com as castas Sauvignon Blanc, Chardonnay, Merlot, Syrah, Semillon e Cabernet Franc.

Sob o comando de John Buck, uma das maiores personalidades do mundo do vinho na Nova Zelândia, a adega Te Mata é controlada em cada passo da produção, garantindo a conformidade dos vinhos com os padrões mais exigentes. Pioneiro por insistir na produção de pequenas quantidades de grandes vinhos, vai contra a mentalidade prevalecente no país há algumas décadas.

Ele criou vinhos emblemáticos, como seus Coleraine e Awatea,no estilo de Bordeaux, sempre entre os maiores tintos do país. Seu Bullnose Syrah e Elston Chardonnay estão entre os melhores em suas variedades. O Cape Crest é um delicioso e rico Sauvignon Blanc fermentado em barricas. A linha Woodthorpe é saborosa e acessível, de ótima relação qualidade/preço.

 

Te Mata

  • Date Janeiro 7, 2020
  • Tags 2014, Espanha, Nova Zelândia